Connect with us

Cidades

A luta dos professores pelo piso salarial nacional em Delmiro Gouveia

Published

on

Manifestação realizada no último dia 2, em frente da Prefeitura – Foto: Divulgação/Sinteal

Manifestação realizada no último dia 2, em frente da Prefeitura – Foto: Divulgação/Sinteal

O que houve com o piso dos professores em Delmiro Gouveia? Há três anos sem reajuste, esses profissionais já mostram profunda impaciência com a gestão atual. Afinal de contas, não é fácil para nenhum trabalhador ver sua carreira profissional “congelar” ao longo de mais de três anos.

Na última assembleia, que ocorreu dia 30 de maio, a categoria acatou a proposta de mobilização feita pela diretoria do Sinteal de paralização de alerta no dia 2 de junho, com mobilização e passeata. É também intrigante que a mesma diretoria reconheceu em seu discurso que a Prefeitura não tem como pagar o piso, deixando claro que a receita é menor que as despesas previstas para o ano de 2017.

Se a diretoria do Sinteal sabe da impossibilidade, então porque não procurar fazer uma pactuação a longo prazo junto à gestão? É preciso reconhecer também os limites da legalidade e responsabilidade. Da mesma forma, a gestão precisa ir à categoria mostrando sua realidade econômica e caminhar junto. Será a atual gestão insensível àcausa dos professores? Eu não acredito. Também não se pode ficar no campo da sensibilidade apenas, pois a questão é matemática. Se não dá agora, é preciso se comprometer com o futuro e buscar soluções.


Continua depois da Publicidade

A categoria e a gestão precisam fazer um grande pacto pela educação da cidade. Deixando a mesa de negociação aberta durante todo esse ano letivo. Não se pode admitir fechar questão em nenhum lado da mesa. É preciso lembrar que já tivermos uma greve que resultou no atraso do ano letivo, que se iniciou em maio. Os grande prejudicados são os alunos da rede municipal de ensino, que são forçados a aceitar no final dessas disputas um calendário alternativo que não satisfaz às famílias.

Os lados precisam se entender. Pensar na comunidade escolar como um todo. Por que não criar uma comissão permanente de ajustes que vá ao longo do ano conversando e vendo a possibilidade de aumento salarial? Não se pode ficar de um lado o Sinteal exigindo que o Prefeito pratique aquilo que ele não pode garantir nem o gestor pode também simplesmente fechar questão dizendo que não pode, sob nenhuma condição, reajustar os salários. É a educação da nossa gente em jogo.

Mesmo que seja oferecida uma proposta de reajuste salarial na próxima quinta-feira (8), conforme se comprometeram os secretários de Educação e Finanças com a categoria, a luta por valorização profissional continua. Concomitantemente a isso, que sentem a gestão e a categoria sempre para cuidar da Educação de Delmiro. Reafirmo que o grande pacto é a saída. Radicalizar de uma lado e do outro só vai sobrar para os alunos.

E você, o que acha? Comente abaixo.

Let’s block ads! (Why?)

fonte: Correio Notícia


Continua depois da Publicidade

Bombando