Connect with us

Polícia

Acusado de assassinar professor arapiraquense relata que crime foi praticado devido a assédio

Published

on

Após ser preso Cleber José de Sousa Braga Junior, acusado de participar do assassinado do professor arapiraquense Vandiele de Araújo, revelou que o crime foi motivado por assédio. Em entrevista ainda no estado de São Paulo, ele contou que o amigo, Wallaph Magno Almeida de Souza, foi o responsável pelas facadas na vítima. 


Continua depois da Publicidade

 Wallaph foi preso em 5 de setembro, após se entregar à Polícia Civil alagoana e disse que a facada foi dada por Cleber. 
“A gente foi lá porque ele [Vandiele] chamou a gente no posto para ‘tomar uma’ na casa dele. Não conhecia ele. Estava eu e o Wallaph. Ele comprou mais três litros de vodca, e a gente bebeu na casa dele. Ele pegou a churrasqueira, começou a assar carne, e a gente ficou bebendo, escutando música”, relata o suspeito.
 
Cleber alega que o motivo do homicídio teria sido assédio. “A cachaça estava me pegando, aí perguntei ‘onde é o banheiro aqui?’, e ele [Vandiele] disse ‘na segunda porta à direita’. Fui lá, tomei banho, quando eu voltei, Wallaph estava com a faca cravada no pescoço dele, e ele tirou e cravou de novo. Ele [Wallaph] fez isso por que ele [Vandiele] tinha ‘dado em cima’ dele e pegou nas partes íntimas dele. Ele me disse ‘se você for pego primeiro e me entregar, eu lhe mato’”.
 
“Eu entrei no carro [de Vandiele], ele dirigiu; pegou o carro só para fugir. Ele colocou fogo no carro para não dar latrocínio”, completou.
 
Cleber nega que Vandiele o tenha assediado, e disse que não percebeu nenhuma conduta inadequada do professor.

Texto da Redação com informações de Assessorias


Continua depois da Publicidade

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bombando