Connect with us

Cidades

Cosems e Sesau orientam municípios para o período pós-enchentes

Published

on

O Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) realizaram na manha desta sexta-feira (9) uma reunião com representantes dos 12 municípios mais atingidos pelas enchentes para discutirem os riscos e medidas no campo da saúde pós-enchentes. A secretária executiva do Conselho, Sylvana Medeiros, reforçou que a entidade vem subsidiando os municípios com informações técnicas em tempo real desde o começo do desastre natural e vai manter a conduta no período pós-enchentes.

“O Cosems não pode ficar à margem do processo nesta situação de emergência e tem sido parceiro da Sesau no apoio prestado aos municípios, orientando-os tecnicamente sobre os cuidados que devem ter também daqui pra frente com o olhar de Vigilância em parceria com a Assistência”, destacou Sylvana.

A titular da Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa) da Sesau, Cristina Rocha, disse que a iniciativa deste encontro se deu como estratégia de levar informações de uma só vez para os 12 municípios, considerando o imediatismo da situação. Segundo ela, o objetivo é orientar os gestores e técnicos destes municípios sobre a notificação de possíveis casos de doenças pós-enchentes e os cuidados que precisam ter com a população quando as águas baixarem, uma vez que geralmente surgem doenças e agravos.


Continua depois da Publicidade

Cristina Rocha acrescentou que desde a semana passada a Sesau conta com o apoio de representantes do Ministério da Saúde da área hospitalar, de doenças de transmissão hídrica e alimentar e outros setores. Durante a reunião foi discutido o fluxo dos pacientes para o Hospital Hèlvio Auto e Hospital de Campanha, montado pelo Exército na semana passada em Marechal Deodoro para atender as vítimas das enchentes.

A representante da Vigilância em Saúde Ambiental da Sesau, Elisabeth Rocha, orientou os gestores dos municípios mais afetados pelas chuvas para, dependendo do caso, encaminharem os pacientes para o Hospital de Campanha do Exército que, segundo ela, é uma estrutura cara e precisa ser bem utilizada considerando também a qualidade das equipes médicas e de outras categorias da Saúde disponibilizadas pelo Exército e pelo Estado.

A reunião foi voltadas aos gestores e técnicos dos municípios de Quebrangulo, Atalaia, Jacuípe, Pilar, Jundiá, Marechal Deodoro, Maceió, Satuba, Murici, Colônia de Leopoldina, União dos Palmares e Viçosa.

 

Mary Wanderley

Assessoria de Comunicação do Cosems

fonte: AMA – Associação dos Municípios Alagoanos


Continua depois da Publicidade

Bombando