Connect with us

Cidades

Médica diz a prefeitos que alerta para Zica precisa continuar

Published

on

 

Após um amplo mapeamento dos casos de Zica Virus em Alagoas feito por pesquisadores , a medica Infectologista Mardjane Lemos, disse aos prefeitos, durante a reunião da AMA que, mesmo sem o alerta federal ,é importante que os municípios mantenham a vigilância. A taxa de ataque do vírus Zika ainda é de 49% e não há evidências concretas de que uma infecção  imuniza porque 56% delas são assintomáticas.

Com uma pauta voltada para a defesa da criança, o assunto entrou no debate porque é na primeira infância que as ações precisam ser desenvolvidas. A deputada Jó Pereira, que integra a Frente Parlamentar na ALE disse que os gestores e as equipes municipais são fundamentais para que se possa assegurar o acompanhamento e o futuro das crianças afetadas. Hugo Wanderley, presidente da AMA, assegurou o apoio porque entende como importante essa discussão .

Através da FP, pesquisadores estão divulgando um questionário que , respondido pelos municípios, apresentará os números atuais e servirá como balizamento para as ações multidisciplinares que deverão ser executadas para o apoio e tratamento das crianças infectadas e suas famílias.Ela também diz que é preciso reavaliar casos que foram descartados em Alagoas e que toda criança suspeita precisa ser acompanhada.


Continua depois da Publicidade

Além da infectologista Mardjane Lemos, a pedagoga Elizangela Mercado, que também integra o grupo de trabalho, mostrou que as notificações indicam que  jovens, negras e indígenas, que tiveram a primeira gravidez ainda na adolescência, são pouco escolarizadas e desempregadas foram as mais afetadas pelo vírus.

O assunto ainda preocupa pela necessidade de implementação de mais políticas públicas , principalmente pelos governos – federal e estadual- para que  pessoas inseridas no grupo de vulnerabilidade social, que são as mais atingidas, tenham o direito de receber a ajuda necessária . Os municípios são a porta inicial para a identificação dos casos e também podem  incluir no Plano Municipal de Educação diretrizes, objetivos, metas e estratégias referentes à garantia das vagas, organização escolar, financiamento , formação de profissionais, garantia de matrícula prioritária em escolas próximas do domicílio para as crianças.

Em parceria com a Undime, o Conselho de Secretários Municipais de Saúde anuncia um mutirão para mapear o Estado e cobrar a execução das medidas protetivas previstas na legislação desde que o país decretou alerta nacional. “Os municípios darão as respostas necessárias e nós trataremos o assunto de forma prioritária”, finalizou Izabelle Pereira , presidente do Cosems.

fonte: AMA – Associação dos Municípios Alagoanos


Continua depois da Publicidade

Bombando