Connect with us

Cidades

Mesmo com 122 mm de chuva, Santana do Ipanema não tem notificações de incidentes

Published

on

Santana do Ipanema já registra 150 mm – Foto: André Henrique

Santana do Ipanema já registra 150 mm – Foto: André Henrique

A segunda-feira (29) amanheceu diferente no Sertão de Alagoas: rios cheios, paisagem verde e mais que especial para os agricultores, que começaram a arar suas terras para plantar o precioso feijão e o milho.

O volume de chuva acumulado nos seis dias da semana passada foi maior que o registrado no mês de abril deste ano, segundo o técnico da Secretaria Municipal de Agricultura de Santana, Antônio Tavares Oliveira, que analisa informações de um pluviômetro.

A cidade registrou chuva até o último sábado (27) e, segundo Antônio, o equipamento indica que choveu o equivalente a 122 milímetros em uma semana, enquanto em todo o mês de abril foram 101 mm. Na prática, isso significa que, na semana passada, choveu 122 litros de água para cada um metro quadrado de área.

Agora que maio está terminando chuvoso, já foram registrados, no total, 150 milímetros. Se dividíssemos os 150 mm de chuva em 31 dias, o mês de maio todo daria uma média de cerca de 4 milímetros por dia. Ou seja, choveu em média 4 litros de água em cada espaço de um metro quadrado.


Continua depois da Publicidade

Barragens e rios cheios

Com toda essa chuva, vários rios, riachos e barragens encheram, seus níveis subiram, trazendo a alegria do povo sertanejo. Na cidade de Dois Riachos, onde há muito tempo o rio não enchia, desta vez encheu. E foi lá que chamou a atenção da nossa reportagem, além da água que chegava ao rio, peixes foram vistos e pegos por moradores.

Em Batalha, foi diferente. Como temos em nossa região vários riachos que deságuam no rio Ipanema, o nível subiu, o “município do queijo” recebeu até o momento o maior volume de água e poderá receber ainda mais, a qualquer momento. Isso porque, uma das barragens do rio Ipanema “sangrou” em Pernambuco e, até nesta segunda-feira (29), a água descia com força para o solo alagoano.

Em Santana do Ipanema, os santanenses aguardam a chagada da água, que já passa de três dias e ela não chega. Não é fácil, o percurso é longo, rio seco, barragens foram feitas no leito do rio e há ainda outros agravantes: os seres humanos que tiram areia do leito do rio sem permissão ambiental, lixo jogado em seu leito, etc. É com todas essas dificuldades que a água chegará a qualquer momento, para que os santanenses possam vibrar e comemorar mais uma cheia do rio Ipanema.
 

Let’s block ads! (Why?)

fonte: Correio Notícia


Continua depois da Publicidade

Bombando