Connect with us

Geral

Perfumes nacionais e importados têm mais de 60% de carga tributária

Published

on

Perfumes têm tributação de mais de 60%

Perfumes têm tributação de mais de 60%
Área de mulher

Um levantamento feito pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo) revela que, entre as opções de presentes para o Dia das Mães, o perfume é o que carrega a maior tributação embutida no preço final do produto, com 69,13%.

Para exemplificar, a composição do preço de um perfume no valor de R$ 100,00 tem, só de impostos, R$ 82,95. Somente R$ 37,05 são efetivamente pelo produto. Já a carga tributária do perfume importado é ainda maior, de 78,99%, por conta de alíquotas de importação. 

Leia mais: Brasil só perde para Cuba em carga tributária na América Latina


Continua depois da Publicidade

Logo atrás dos perfumes, o relógia desponta como terceiro item do ranking, com 54,14% de carga tributária. Entre outros presentes de uso pessoal do ranking estão cosméticos (55,27%), maquiagem (54,41%) e joia (50,44%).

“Os segmentos de beleza e de acessórios despontam como os mais taxados, com tributações que variam entre 50% e 70%, porque sobre eles incidem alta alíquotas de ICMS e IPI. Além disso, o governo taxa mais em cima do que é considerado bem supérfluo”, explica Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Ele lembra que, nesta data, tradicionalmente o comércio tende a ampliar as vendas de roupas e calçados, que têm tributações de 34,67% e 36,17%, respectivamente. O segmento de eletrodomésticos também costuma ir bem, mas ainda agregam valores relativamente altos de impostos. A geladeira tem carga tributária de 46,21% e a televisão de 44,94%. Logo atrás vem a batedeira, com tributação de 44,37%, liquidificador (43,54%), cafeteira (42,57%), máquina de lavar (42,56%) e fogão (41,22%).

Alternativas

No entanto, Solimeo aponta que há alternativas de presentes com taxação abaixo de 30%. Um pacote de viagens tem 29,56% de seu valor final composto por impostos, seguido por ingresso de cinema (20,85%), flores (17,71%) e livro (15,52%). “O livro tem baixa taxação porque é voltado à educação”.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas


 

Source: R7


Continua depois da Publicidade

Bombando