Connect with us

Geral

Polícia Federal faz buscas na casa do presidente afastado da Vale

Published

on

Fábio Schvartsman é investigado pela Polícia Federal

Fábio Schvartsman é investigado pela Polícia Federal
Paulo Whitaker/Reuters

A Polícia Federal fez buscas nesta terça-feira (16) na residência do executivo Fábio Schvartsman, presidente afastado da Vale. A ação da PF (Polícia Federal), em busca de documentos e computadores, foi ordenada pela Justiça Federal no âmbito do inquérito que investiga o mar de lama de Brumadinho, com 229 mortes até agora e 48 corpos ainda desaparecidos.

Foi a primeira vez que a PF inspecionou o endereço de Schvartsman, em São Paulo. A Barragem do Córrego do Feijão explodiu no dia 25 de janeiro passado. Por recomendação do MPF (Ministério Público Federal) o executivo está afastado do cargo desde 2 de março.

Veja também: PF cumpre cinco mandados de busca e apreensão por Brumadinho

A ação

A Polícia Federal cumpre nesta terça cinco mandados de busca e apreensão dentro das investigações que apuram as causas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho.


Continua depois da Publicidade

Os mandados, expedidos pela Vara da Justiça Federal em Minas Gerais, foram cumpridos em Belo Horizonte (2), São Paulo (1), Rio de Janeiro (1) e Nova Lima, MG (1).

A PF não informou os alvos das buscas e apreensões. Em comunicado, a corporação afirma que “as medidas visam a apreender documentos, mídias e outros elementos de convicção que guardem relação aos fatos apurados”.

Desde o início das investigações 13 investigados chegaram a ser presos, duas vezes, pela força-tarefa que apura os motivos da queda da barragem, formada pela Polícia Civil, MP (Ministério Público) e Polícia Federal. Todos foram soltos por habeas corpus concedido pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Leia mais: CPI de Brumadinho se reúne na terça-feira com Ministério Público

Do grupo preso, 11 eram funcionários da Vale diretamente envolvidos com a segurança da barragem em Brumadinho e dois eram consultores da empresa alemã Tüv Süd, que atestaram a segurança da estrutura.

Nesta segunda-feira (15) em depoimento à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) aberta pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais sobre o a tragédia em Brumadinho, o chefe de ANM (Segurança de Barragens de Mineração da Agência Nacional de Mineração) em Minas, Wagner Araújo Nascimento, disse que o número de fiscais do setor no Estado deverá aumentar de três para oito até meados de maio. Minas abriga o maior número de barragens consideradas como de alta capacidade de dano no Brasil, cerca de 130.

Source: R7


Continua depois da Publicidade

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bombando