Connect with us

Cidades

Preço do milho tem alta de 14,29%, informa Índice de Pesquisa ao Consumidor

Published

on

Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

O tradicional mês das festas juninas já chegou e, com o intuito de ajudar os maceioenses na hora da compra de produtos típicos da época, a Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), divulgou, por meio do Índice de Pesquisa ao Consumidor (IPC), uma pesquisa especial com coletas de preços dos itens mais procurados para o São João.

De acordo com o levantamento, que analisou o comportamento inflacionário de acessórios, roupas características do período, comidas típicas, fogos de artifício e o milho, o consumidor deverá pesquisar bastante caso queira economizar na hora da compra. Isso porque, os números mostram que, neste ano, os preços subiram, quando comparado com o ano de 2016.

Dentre os produtos mais demandados nesse período, ressalta-se que a maior alta ficou por conta do leite condensado (44,41%), cujo preço médio registrado foi de R$ 5,65. Os itens manteiga, cravo e bolo também apresentaram grandes variações, alcançando aumentos de cerca de 20,00%.


Continua depois da Publicidade

Por sua vez, a “mão do milho”, um dos itens mais consumidos na época, apresentou aumento de 14,29%. Quando comprado à meia mão, no entanto, o produto registrou índice de 11,11%.

No grupo dos acessórios, por exemplo, a pesquisa revelou que o produto com a maior variação foi a bandeirola, com aumento de 81,82%. Em seguida, percebe-se que as miniaturas de espantalho e a tiara registram índices de 42,86% e 19,67%, respectivamente.

“Mesmo verificando que o consumidor maceioense gastará mais na hora das compras, é preciso ressaltar a importância cultural da época para estados como Alagoas. Em geral, as festividades juninas são importantes também por conta da movimentação econômica advinda do aumento no fluxo de turistas que vêm prestigiar as festividades, movimentando hotéis e bares da cidade”, explicou o supervisor de Pesquisas da Seplag, Gilvan Sinésio.

Let’s block ads! (Why?)

fonte: Correio Notícia


Continua depois da Publicidade

Bombando