Connect with us

Cidades

Prefeito Cacau ouve especialista para discutir solução para avanço da maré na Barra Nova

Published

on

Durante vistoria realizada na tarde desta quinta-feira (22), prefeito ouviu opinião da doutora pela UFAL especialista em sedimentação costeira para avaliar avanço da maré, além de representantes do IMA e IBAMA na orla da Barra Nova

 

DSC_0609Preocupado com o avanço do mar na orla da Barra Nova, em decorrência da abertura de uma nova boca da barra após as fortes chuvas que atingiram o município, o prefeito Cláudio Filho Cacau convidou representantes de diversos órgãos ambientais e a geóloga e doutora pela UFAL em sedimentação costeira, Roxana Campos, para avaliar e discutir soluções para o problema.

Após vistoriar o local mais atingido, próximo ao Restaurante do Pareia, a geóloga explicou que apesar da preocupação dos moradores, é importante esperar para ver como se comporta tanto o mar, quanto a lagoa, para entender qual será a tendência, já que naturalmente, a lagoa pode voltar ao estado normal e boca da barra se fechar.


Continua depois da Publicidade

Diante dos estragos causados, o prefeito incluiu no FIDE, relatório entregue à Defesa Civil, uma obra de contenção para dissipar a força da maré e evitar que o impacto das ondas cause mais erosão na costa. A contenção seria feita no formato chamado de Bag wall, estrutura semelhante a uma escada. A ideia foi vista com bons olhos pelos representantes dos órgãos ambientais, já que esta é o tipo de obra que consegue amenizar os problemas e causa menos danos ambientais.

Durante esta semana, o prefeito esteve com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, onde apresentou o relatório e conseguiu a liberação de recursos para a realização da obra, diante da urgência para evitar mais estragos.

“O ministro já sinalizou que vai liberar os recursos, mas vou tentar agilizar esta liberação, para que o quanto antes a gente inicie esta obra. Nós precisamos resolver esta situação, mas não podemos fazer nada de qualquer jeito. Por isso convidamos os órgãos e especialistas para achar uma solução conjunta, que preserve as moradias, mas também preserve o meio ambiente. Não podemos tomar uma decisão por emoção e que, no futuro, venha prejudicar pescadores, moradores, natureza. Tem que pensar nas consequências”, disse o prefeito.

 

ASCOM MARECHAL

fonte: AMA – Associação dos Municípios Alagoanos


Continua depois da Publicidade

Bombando