Connect with us

Cidades

Prefeitura e Iphan entregam requalificação do Largo do Carmo em Marechal Deodoro nesta sexta-feira (20)

Published

on

Na ocasião, também será assinada a ordem de serviço da obra de requalificação do largo da Igreja Matriz.

 

Texto: Antônio Carlos Souto/Fotos: Hiarlley Sabino

Com a premissa de resgatar as tradições e preservar o Patrimônio Histórico Municipal, a Prefeitura de Marechal Deodoro, junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), irá entregar na próxima sexta-feira (23), às 09h30, o Largo da Igreja do Carmo. Na ocasião, também será dada a ordem de serviço da obra de requalificação do largo da Igreja Matriz.

 

Os recursos destinados às obras de requalificação e urbanização do Largo do Carmo, de aproximadamente R$ 2 milhões, são oriundos do Governo Federal por meio do PAC Cidades Históricas. Já o projeto arquitetônico e estrutural foi idealizado pela Prefeitura de Marechal Deodoro, sendo aprovado e execução pelo Iphan.

A obra também contou com investimentos de instalações de iluminação cênica, acessibilidade e alargamento de vias e calçadas, academia social, mobiliários urbanos e serviço de jardinagem. Junto a isso, a Prefeitura de Marechal Deodoro executou o serviço de recuperação e pintura das fachadas das casas em volta do largo.

Além do Prefeito Cacau e autoridades municipais, a solenidade contará com a presença do Governador de Alagoas, Renan Filho; o senador Renan Calheiros; ministro do Turismo, Marx Beltrão; o ministro dos Transportes, Mário Quintela; além da presidente do Iphan, Kátia Bogéa e do diretor do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida.

Requalificação do Largo da Igreja Matriz

Na mesma ocasião, a Prefeitura de Marechal Deodoro, assinará a ordem de serviço para o início das obras de requalificação do Largo da Igreja da Matriz de Nossa Senhora da Conceição: um investimento, também federal, previsto de R$ 3,8 milhões.

 

Prefeitura de Marechal Deodoro notifica construtora por problemas no abastecimento no Residencial Gislene Matheus


Continua depois da Publicidade

Em abril, após vistoria no residencial, o SAAE pediu a resolução dos problemas detectados na rede, poços e captação, que vem dificultando o abastecimento nas residências

O Sistema Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Marechal Deodoro notificou, nesta terça-feira (20), a empresa CITE – Consultoria e Construções LTDA, construtora responsável pelo Residencial Gislene Mateus, devido os problemas na rede, poços e captação, dificultando o abastecimento de água nas residências.

De acordo com o SAAE, no mês de abril, antes de receber a obra da construtora, os técnicos do órgão realizaram uma vistoria e detectaram vários problemas na rede, poços e na captação da água. Após a vistoria, o SAAE encaminhou um documento solicitando a resolução dos problemas detectados, além de relatórios e testes de vazão dos poços atualizados, certificado de garantias das bombas dos poços, Outorgas, Licença Ambiental Simplificada, entre outros documentos necessários.

Passados dois meses da vistoria, as 750 residências foram entregues aos desabrigados das chuvas e os problemas não foram solucionados pela construtora, que foi notificada pelo SAAE. Além do problema da falta de água, o SAAE recebeu reclamações dos moradores referentes aos odores e na rede de esgotos.

No documento de notificação, entregue hoje à construtora, o SAAE explica que está impossibilitado de realizar a ligação da rede de água, por não haver vazão suficiente de água nos dois poços existentes no Residencial Gislene Matheus.  Além disso, o órgão pede que sejam solucionados os problemas na rede, poços e captação, que estão impossibilitando o abastecimento em parte das residências.

Ainda no documento, o SAAE pede que a Construtora atenda as exigências de adequação do sistema de água e esgoto, para que o SAAE possa receber a obra do Residencial Gislene Matheus.

A contar do recebimento, a construtora terá um prazo de 05 dias para regularizar o sistema de água e esgoto, sob pena de serem tomadas as medidas legais cabíveis para aplicação de sanções judiciais, bem como ajuizamento de procedimentos legais cabíveis.

fonte: AMA – Associação dos Municípios Alagoanos


Continua depois da Publicidade

Bombando