Connect with us

Cidades

Presidente do Inmeq defende criação de unidade para atender Sertão de Alagoas

Published

on

Direção do Inmeq se reuni com Inmetro para discutir planejamento do instituto – Foto: Assessoria

Direção do Inmeq se reuni com Inmetro para discutir planejamento do instituto – Foto: Assessoria

O diretor-presidente do Instituto de Metrologia e Qualidade de Alagoas (Inmeq-AL), Luiz Pedro Brandão, tem pleiteado junto ao Inmetro em âmbito nacional, a instalação de um escritório do instituto no sertão do Estado. O objetivo é melhorar o atendimento dos consumidores e comerciantes da região. Atualmente, além de Maceió, o órgão conta com uma unidade no município de Arapiraca.

O projeto pretende dinamizar a atuação do instituto no território alagoano, reduzindo os custos operacionais e atendendo melhor a população. Em abril deste ano, o gestor esteve novamente no Rio de Janeiro, sede do Inmetro, para viabilizar a iniciativa.


Continua depois da Publicidade

“Com o desenvolvimento do comércio em Alagoas no últimos anos, é natural que o trabalho do instituto aumente. Existe a necessidade de maior atenção aos consumidores e comerciantes, principalmente no sertão do Estado. Por isso, criar um escritório permanente faz com que as demandas sejam atendidas de forma mais eficiente e reduzindo custos para o instituto”, afirma Luiz Pedro.

A proposta prevê a criação de duas equipes de campo para atuar nas cidades da região. O gestor irá se reunir com os prefeitos locais e adiantou que em dois municípios estão sendo analisadas a possibilidade de instalação da unidade: Delmiro Gouveia e Santana do Ipanema.

ATUAÇÃO

Segundo o presidente, o órgão é responsável por efetivar as políticas de qualidade e metrologia do Instituto de Nacional de Metrologia, Qualidade de Tecnologia (Inmetro), visando a proteção ao consumidor e a concorrência justa no comércio.

“As fiscalizações do instituto buscam sempre deixar a população assistida em relação a suas compras. Produtos que são comercializados sem selo do Inmetro, por exemplo, apresentam risco ao consumidor, e são retirados sempre de circulação para proteger o cidadão de possíveis acidentes”, ressalta o gestor.

Let’s block ads! (Why?)

fonte: Correio Notícia


Continua depois da Publicidade

Bombando