Connect with us

Cidades

Sertão em alerta: mosquitos que podem transmitir febre amarela são capturados em Maravilha

Published

on

Mosquitos capturados em Maravilha são do tipo silvestres, ou seja, não vivem em cidades – Foto: Reprodução/Internet

Mosquitos capturados em Maravilha são do tipo silvestres, ou seja, não vivem em cidades – Foto: Reprodução/Internet

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) confirmou por meio de nota, neste sábado (3), que mosquitos que podem transmitir o vírus causador da febre amarela foram capturados em área de mata no município de Maravilha, no Sertão de Alagoas.

A confirmação se deu devido a um trabalho preventivo que a secretaria realiza na região, após o registro da morte de saguis por causas até então desconhecidas na região sertaneja. Os macacos do tipo saguis, assim como os humanos, podem morrer em caso de incidência da doença.

De acordo com a Sesau, as espécimes de mosquitos capturadas são do tipo Haemagogus leucoceleanus e Ha. janthynomis, vetores da febre amarela silvestre, ou seja, que são encontrados apenas em áreas rurais.

Mesmo assim, a secretaria alerta que é preciso manter o combate aos focos do mosquito Aedes aegypti na área urbana, adotando as medidas relativas à eliminação de criadouros dentro das casas e em seus arredores, além da proteção dos depósitos de água de consumo.

Isso porque já está comprovado que o Aedes aegypti também pode transmitir a febre amarela, caso o mosquito esteja com o vírus em seu organismo.

Em março deste ano, cinco saguis foram encontrados mortos no município de Inhapi, também no Sertão. A Sesau considerou a ocorrência como um “evento sentinela”, ou seja, que deveria atrair a atenção das autoridades de saúde. “A morte de animais é sinalizador da circulação de agravos”, informou a Sesau, na época, por meio de nota enviada ao Correio Notícia.


Continua depois da Publicidade

Sintomas da febre amarela

Na maior parte dos casos, os sintomas incluem febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas. Os sintomas geralmente melhoram ao fim de cinco dias. Em algumas pessoas, no prazo de um dia após os sintomas melhorarem, a febre regressa juntamente com dores abdominais e as lesões no fígado provocam icterícia. Quando isto ocorre, aumenta o risco de insuficiência renal.

Confira abaixo a nota da Sesau na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informa que especímes de Haemagogus leucoceleanus e Ha. janthynomis, vetores da Febre Amarela silvestre, foram detectados em área de mata do município de Maravilha, graças ao trabalho preventivo que vem sendo feito pela equipe da Sesau naquela região para detecção de vetores.

Salienta ainda que o trabalho foi intensificado na área visando a diminuição de riscos à população. Ressalta também que, mesmo encontrando esses vetores em área silvestre, é de fundamental importância manter o combate ao Aedes aegypti na área urbana, adotando as medidas relativas à eliminação de criadouros dentro das casas e em seus arredores, além da proteção dos depósitos de água de consumo e, para isso, é importante contar com a participação ativa de toda a população.

LEIA MAIS:

Secretaria da Saúde sobre morte de saguis em Inhapi: ocorrência é um “evento sentinela”

Febre amarela: equipe de saúde investiga morte de saguis na zona rural de Inhapi

Let’s block ads! (Why?)

fonte: Correio Notícia


Continua depois da Publicidade

Bombando