Connect with us

Geral

Tribunal mantém quebra de sigilo no caso Queiroz

Published

on

Quebra do sigilo foi decretada em 27 de abril

Quebra do sigilo foi decretada em 27 de abril
Reprodução/SBT

O desembargador Antônio Carlos Amado, da 3.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, negou nesta quarta-feira (29) o pedido feito pela defesa de Fabrício Queiroz para anular a quebra de sigilo fiscal e bancário de 86 pessoas e 9 empresas investigadas no suposto esquema de desvio e lavagem de dinheiro no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Alerj (Assembleia Legislativo do Estado). A quebra de sigilo foi decretada no 27 de abril pelo juiz Flávio Nicolau, da 27.ª Vara Criminal.


Continua depois da Publicidade

O habeas corpus foi ajuizado no dia 17 de maio pelo advogado Paulo Klein, que defende a família de Queiroz, ex-assessor de Flávio na Alerj. Ele argumentou que o inquérito foi “contaminado por diversas e insanáveis ilegalidades”, como o “vazamento” de dados sobre movimentações financeiras atípicas de Queiroz detectadas pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) — o caso foi revelado pelo Estado. Segundo o Coaf, Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão em sua conta bancária no período de um ano.

O MP-RJ sustenta que há indícios robustos de que havia uma “organização criminosa” comandada por Flávio e operada por Queiroz.

Ambos negam a prática. Em nota, Klein afirmou que recebe com “tranquilidade” a decisão e diz estar confiante de que a questão será avaliada por três desembargadores “que certamente apresentarão a melhor solução”. 

Source: R7


Continua depois da Publicidade

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bombando